“MADE IN BRAZIL”. O legado deixado pelos elos perdidos dos Sneakers nacionais (part. 1).

Provavelmente alguns de nós eram nascidos nas épocas dos anos 80 e 90, porém, será que a gente tem alguma noção dos modelos clássicos de Sneakers feitos no Braza? O assunto vem tomando uma grande proporção recentemente e vários canais e pessoas influentes vem trazendo conteúdo sobre este assunto. O Lucas Penido (Formador de opinião e fundador do canal “The Hype BR”) inclusive fez um vídeo falando sobre o assunto (você pode conferir este conteúdo aqui) e foi exatamente este fato que me inspirou a também colaborar com a propagação dessa ideia.

1. Rainha Elastic System

“System, para amortecer os seus impactos. Elastic, para envolver seu pé como uma meia”

A marca nos anos 90 possuía uma visão tecnológica a respeito dos seus produtos. O design com certeza era bem moderno, com seu cano acompanhando as linhas do tornozelo. Eu não tive a oportunidade de utilizar este modelo, mas só de olhar, parece ser muito confortável. Destaque também para a combinação de cores do tenis, uma linha bem clean, porém harmoniosa, mostrando que a marca tinha a preocupação de estar alinhada com o mercado internacional. Com certeza, um Elo perdido de nossa cultura Sneaker! (Rainha! você tá marcando, acorda ai, me chama pra trabalhar no design de produto de vocês haha)

Rainha-Elastic-System
Rainha-Elastic-System2

2. Topper Dynatech

“Topper vai colocar você por dentro de um avançado sistema de amortecimento”

Ao que parece, o eco do sucesso do Air Max 90 da Nike inspirou a Topper a desenvolver um tênis para esporte que exalava conforto e performance. Quem diria né? A Topper tinha entrado numa linha muito interessante quando criou este modelo. Ele possuia um visual muito bonito e tinha um sistema de amortecimento semelhante ao clássico da Nike, com uma espécie de pequenos amortecedores internos e com o detalhe de uma abertura mostrando o sistema de amortecimento. Com certeza, um tênis elegante que cairia muito bem nos tempos atuais.

Snapshot_13


3. Tênis Cooper

Este com certeza nos dias de hoje é um dos modelos mais UNDERGROUNDS do Brasil. O Tênis Cooper é de meados dos anos 80, mas dêem um Ligue no design desse calçado. Mais um modelo running que esbanjava estilo, e aparentemente, deveria ser bem confortável.

Ao que parece, foi uma marca muito usada em sua época e contava também com modelos de Basquete, porém encontrar essas imagens pela internet não foram possíveis.

Snapshot_14Snapshot_15Snapshot_16481668_306637329437898_311250514_n


4. Topper Jogger.

“O tênis de correr que tem tudo!”

Outro modelo da Topper que trazia um visual moderno e certeiro. Esse Topper me lembra o Adidas Samba, tem a silhueta bem semelhante e também tem uma combinação de cores parecida. Este modelo com certeza tem muito potencial, ainda que ele seja um modelo dos anos 90 e 80, nos dias atuais ele cairia muito bem. Posso dizer que ele até me deu ideias de novas colorways e possíveis novos acabamentos.

topper-jogger


5. Olympikus Nightmare

Não sei como anda a situação atual da Olympikus no Basquete, mas pra mim, ela acertou muito quando fez este modelo. Acredito que este deveria ser um caminho mais bem explorado dos modelos da Olympikus no Basquete, pois este modelo trazia consigo a essência do basquete da época, e você pode perceber isso ao ver que remetia seus traços inspirados nos modelos do Jordan 4 e 5. Este modelo com certeza estaria na lista de Sneakers nacionais que eu gostaria para uma coleção.

Snapshot_17Snapshot_18Snapshot_19

(…)

Espero que tenham gostado deste post, pois passei um bom tempo dando uma pesquisada e procurando por estes modelos nacionais mais diferenciados. Afinal, esta é uma das propostas da JAZZ, criar umas espécie de banco de dados de conteúdo original e cultural.

Possivelmente, esta foi a parte 1 da matéria sobre “Sneakers Brasileiros”

É nóis galera, até a próxima.

Segue a gente no instagram: @jazzlifestylegear

Matéria feita por Jean Nascimento ( @mtrondesign )

Instigar & Investigar!

Dennis Rodman, Androgenia Punk Futurista.

Dennis Rodman, foi jogador de basquete,  já foi ator e é o tipo de pessoa que curte tirar uma onda por onde passa até hoje. Ao pesquisar por ele pela internet, você vai encontrar em vários sites noticias suas em assuntos controversos e polêmicos. Porém, nosso propósito aqui na JAZZ é dar uma analisada no aspecto fashion.

424643.1

Seu estilo nos anos 90 foram os mais interessantes, apresentando um visual totalmente punk futurista, com uma pegada andrógina. As cores de seus cabelos sempre estavam em constante transformação e com certeza este era mais um dos elementos que o tornaram um ícone marcante.

a7eee669fa4c2d215ebd80a7d1e10e35

Outro fato interessante, é que ele possui alguns tênis assinados para a NIKE e a CONVERSE. Se liguem!

Nike Air Worm Ndestrukt (1996)

kzckirrv0sfu4epathai

Converse All-Star Rodman (1997)

cbya7com571qjesbfxjl

Converse D-Rod High (1998)

wuhheyrnqepkgb31lonw

E também uma menção honrosa. Apesar de não ter sido assinada por Dennis, foi ele que fez o modelo ficar conhecido.

Nike Air Shake Ndestrukt70517876251a603033f3139a1447b6cb

E pra finalizar, também fez alguns filmes. Aqui abaixo uma dica do filme  “A COLÔNIA [Double Team, 1997]”, onde Dennis faz o papel de um vendedor de armas pra lá de excêntrico.

MSDDOTE EC006

DOUBLE TEAM, Dennis Rodman, 1997

7103083-3

“JAZZ”, só conteúdo original.

Referencias:
Bad As I Wanna Be: Dennis Rodman’s Top 10 Sneakers
Wikipedia
Pesquisas no Google

“Golden Boy”, O menino de Ouro.

Aqui vai uma dica de Anime bem massa e mocado (até então).

Golden Boy é uma série de mangá escrita por Tatsuya Egawa, sobre um jovem de 25 anos chamado Oe Kintaro, que viaja pelo Japão em sua bicicleta.

Em cada episódio você encontra um aprendizado do rapaz que no final do cerco, tem uma conclusão bem massa. Apesar de ser bem “pervertido” (com muitas cenas de mulheres bem no estilo que Japonês curte fazer, pic Hentai), trás em seu pano de fundo de história uma reflexão sobre humildade e determinação.

Vale a pena conferir:

Formato: Anime
Autor: Tatsuya Egawa
Diretor: Hiroyuki Kitakubo
Estúdio: Production I.G.
Episódios: 6*
Inicio da Série: 1995
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi

*Todos os episódios vocês encontram no próprio YouTube.

Por dentro da Dosnoventa. A história que não foi contada.

Tem um longo tempo desde que a RAW Cycling Mag queria fazer uma matéria sobre a história de uma das marcas mais reconhecidas no mundo e nos perguntamos, por que não?

Entramos em contato com os criadores de um estilo de vida com sua própria marca que inspiram pessoas ao redor do mundo com quadros exclusivos que eles são capazes de projetar.

Quando explicamos o que queríamos saber sobre a DOSNOVENTA e quem estava por trás da marca de Barcelona, eles fizeram questão de nos acolher em sua sede.

Nesta entrevista tentamos captar tudo o que as pessoas não sabem sobre eles, contar sua própria história através de três questões essenciais que todos pedem pelo menos uma vez na vida: de onde viemos, quem somos e quem queremos nos tornar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

DE VOLTA AS ORIGENS.

1. Como foi o inicio das fixas em Barcelona? Quando e quem foram os precursores deste estilo de vida?

“O começo foi divertido e repleto de roles, estávamos sempre aqui e ali, com a simples desculpa de dar alguns skids! haha … quando começamos a andar de fixa, há cerca de 6 ou 7 anos atrás, só havia uma loja especializada em Barcelona: My Beatiful Parking , organizaram os primeiros alleycats e eventos da cidade.”

2. Conte-nos sobre a CREAM & FIXED SOLDIERS.

“CREAM BIKES & THINGS nasceu com a ideia de montar uma pequena boutique de bike fixa. Queríamos trazer a Barcelona um produto de gama alta e ver as marcas que vimos em videos na internet, ou ao vivo.

Acho que conseguimos, também fomos capazes de criar um estilo único em nossas montagens, foram reconhecidos em muitos lugares do mundo. Através das redes sociais, videos e nossos eventos, criamos uma cena inteira próxima e distante de nós que confiaram em nosso julgamento na hora de comprar sua bike fixa.

FIXED SOLDIERS foi um passo a mais que demos que nos levou a pensar sobre o nosso cliente com a intenção de oferecer muito mais do que uma bike, uma comunidade de pessoas que compartilham os mesmos interesses sobre bike fixa. Fomos os primeiros em Barcelona, há quase cinco anos, a organizar noites com os nossos clientes ou qualquer um que tivesse uma bike fixa. Eles e Elas não iam a uma loja para dar um passeio, eram ocasiões especiais, organizávamos festas todas as quintas feiras na CREAM, antes do rolê semanal, nós dávamos comida e bebida a vontade, organizávamos algumas competições no inicio, com premiações e eu posso garantir que nossos rolês sempre tiveram algo de especial, nossos videos,  nossas rotas e filosofias de FIXED SOLDIERS, “pedalando forte, porque você não vai esperar”.

3. Como foi o projeto DOSNOVENTA e o que fez um sonho se tornar uma marca mundialmente conhecida?

“DOSNOVENTA nasceu de uma necessidade, da CREAM que sonhava com a possibilidade de projetar nossas próprias bikes, fazer nossos próprios quadros. No momento em que chegamos de uma maneira inesperada, através de um contato, tivemos a oportunidade de fazer alguns quadros para nós com a ajuda de alguns engenheiros da fábrica. Depois de alguns meses de trabalho e várias visitas à fábrica na Itália, veio nosso primeiro quadro e … foi bomba! Nós amamos! Eles tinham acabado de criar o nosso primeiro modelo DOSNOVENTA. Em poucos meses estávamos recebendo e-mails do Japão e da Europa, perguntando como podiam comprar nossos quadros.

TRABALHO DURO SEMPRE É RECOMPENSADO

4. É claro que nenhum sonho é cumprido em um piscar de olhos, como foi o processo? O trabalho duro dos criadores, o backstage que ninguem vê…

“É claro que por trás da DOSNOVENTA há muito sangue e suor haha … Se a verdade tem trabalho duro, nós continuamos fazendo … Eu acho que agora temos mais trabalho ainda… mas o processo tem sido bastante intuitivo, temos deixado nossos sentimentos nos guiar e sempre tentando fazer coisas incríveis. Há uma grande equipe de pessoas por trás de nossa empresa todos os dias dando 100% em tudo o que fazemos, eu acho que é um dos segredos, a confiança em algo e buscar sempre o melhor.”

5. Ao longo da história sempre encontramos tempos difíceis, vocês já duvidaram de algum projeto?

“Podemos ter nossas dúvidas, mas pra sermos honestos, nunca deixamos de acreditar na DOSNOVENTA, foi isso o que nos motivou e nos motiva a querer aprender e crescer lentamente.

6. Como vocês carregam a pressão de ser uma marca tão conhecida no cenário mundial e como vocês vivem o dia a dia?

“É engraçado, nós vivemos para obter um bom feedback todos os dias sobre aquilo que fazemos. Para nós, a pressão gerada em torno da DOSNOVENTA é algo positivo que não nos deixa tempo para relaxar, estamos sempre tentando criar conteúdo e experiências para compartilhar da maneira mais real que podemos.”

7. Quem são as pessoas do time DOSNOVENTA? Como o trabalho é dividido e qual a função de cada um?

A equipe é formada por quatro membros:

Juan Guadalajara, fundador da marca e responsável pela parte técnica. É o contato principal com a nossa fábrica, desenvolve novos produtos e também é mecânico.

– O segundo fundador da DOSNOVENTA com Juan, é Juanma Wellhils, cuja a missão é a organização e comunicação em geral, desde eventos, pilotos de equipes, colaborações e etc…

– O terceiro membro é Dani Melo, que é encarregado da direção de arte e design. Qualquer “frikadas” que você vê em DOSNOVENTA, Dani é o culpado.

– E para fechar a família; Uri Bordes. É nossa última assinatura e sua principal missão é organizar a marca, gestão e aspectos econômicos. Graças a Uri, podemos respirar fácil!

FUTURO…O MELHOR AINDA ESTA POR VIR.

8. Como vocês vêem neste momento a evolução do ciclismo urbano nos últimos anos e qual a opinião de vocês sobre o assunto?

“Se formos falar da evolução das bikes fixas, por exemplo, em nossa cidade, vemos uma coisa curiosa. A bike fixa teve seu pico e o mais bem sucedido foi a aproximadamente a 4 anos atrás. Barcelona viveu o “boom” das fixas, esta tendência estava ligeiramente em declínio nos anos seguintes e até o momento parece que ainda está sendo traçada.

Talvez tenha algo para fazer, competições de fixas estão se tornando mais comum em nossa área. Especialmente Critérios.

Outra tendência que vemos muito claramente na mudança de hábitos, são os usuários de fixas migrando para o treinamento, está passando a utilizar bicicletas de estrada, em alguns casos definitivamente e em outros eventualmente. Em qualquer caso, isso era impensável em alguns anos atrás.

Combinamos os dois tipos de bikes, não poderíamos estar mais satisfeitos.”

9. Podemos dizer em uma frase a essência da DOSNOVENTA?

“Encontre o emprego que ama e pare de trabalhar”. Pode soar como clichê, mas não poderíamos concordar mais que isso.

10. Agradecimentos…

Primeiramente, aos nossos patrocinadores, sem eles, isso teria sido muito mais difícil, a Lacoste LIVE!, HED, San Marco, a Integrasport, Giro & Smith Optics.

E especialmente aos fãs, que nos dão a oportunidade de continuar este projeto.

Créditos: Revista Raw Cycling

HSS x 0800 Vol. 1

Daora é ver a galera trampando, fazendo acontecer. O videomaker  e skatista “Flagra” (0800 vid) e o dono da loja e marca HSS, Rudão, arranjaram um tempo na agenda, trocaram umas ideias e dai nasceu a ideia de produzir o primeiro volume “HSS x 0800”. Galera do skate representando na cena.

Skaters

@heiriq
@jhonatahalmeida
@alexandrepoloskt